O veículo mais vendido do Brasil chega totalmente renovado na versão 2014

Em sua oitava geração, linha CG incorpora uma série de novidades para a linha 2014

Lançada no mercado brasileiro em 1976 e líder no segmento de duas rodas há mais de três décadas, a nova linha CG está de cara nova. Consagrada como uma das motocicletas mais robustas, versáteis, confiáveis e econômicas da categoria, chega à sua oitava geração com mais de 10 milhões de unidades comercializadas.

Na versão 2014, toda a família foi remodelada e agora apresenta um design que transmite maior fluidez e versatilidade. Entre as novidades da linha, que conta com os modelos CG 125 Fan (versões KS / ES / ESD), CG 150 Fan (versão ESDi) e CG 150 Titan (versões ESD / EX), estão o novo design do tanque de combustível, conjunto óptico, rabeta e assento. Na parte ciclística, o modelo apresenta um chassi totalmente redesenhado, com diferenciais em sua estrutura, que deixam o conjunto aproximadamente 4 kg mais leve. Com isso, a pilotagem está ainda mais equilibrada e segura.

Destaque também para o novo painel de instrumentos, integrado à carenagem, totalmente digital, com aferição eletrônica de velocidade, a partir de sensor instalado no câmbio.

A linha 2014 da família CG manterá suas duas tradicionais opções de motorização: 125cc e 150cc, conhecidas pela sua eficiência, durabilidade, baixo custo de manutenção e economia de combustível.

O modelo CG 125 Fan traz o motor do tipo OHC (Over Head Camshaft), 124,7 cm3, monocilíndrico, 4 tempos e arrefecido a ar. A alimentação do sistema é feita por um carburador. Com esta configuração, a motocicleta gera potência máxima de 11,6 cv a 8.250 rpm, e torque de 1,06 kgf.m a 6.000 rpm.

Já a linha CG 150 está equipada com motor OHC (Over Head Camshaft) e sistema Flex, monocilíndrico, quatro tempos, de 149,2 cm3, arrefecido a ar, com comando de válvula no cabeçote e balancins roletados. O conjunto é capaz de gerar potência máxima de 14,2 cv a 8.500 rpm, e torque máximo de 1,32 kgf.m a 6.500 rpm. (abastecido com gasolilna) e 14,3 cv a 8.500 rpm, e torque máximo de 1,45 kgf.m a 6.500 rpm (abastecido com etanol). A alimentação do sistema é controlada pelo módulo de injeção eletrônica
PGM-FI (Programmed Fuel Injection), tornando o conjunto ainda mais eficaz.
A transmissão é de cinco velocidades, com embreagem multidisco em banho de óleo. A partida é elétrica e a motocicleta conta ainda com bateria selada, de maior vida útil e isenta de manutenção.

Nas duas motorizações o escape conta com catalisador, que permite atender com folga, os limites de emissões estabelecidos pelo Promot 3 (Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares). O escapamento conta com novo visual, mantendo sua eficiência.